Como funciona o processo de reciclagem da sucata ferrosa?

Você sabia que, atualmente, no Brasil, quase 9 milhões de toneladas de sucata ferrosa são reaproveitadas na economia? No país, aproximadamente 25,9% da matéria-prima utilizada (dados do Inesfa – Instituto Nacional das Empresas de Preparação de Sucata Não Ferrosa e de Ferro e Aço) na produção da indústria siderúrgica é proveniente da cadeia de reciclagem.

Mesmo assim, o Brasil ainda está longe de ocupar um papel de liderança nessa importante atividade econômica. O país líder em reciclagem da sucata ferrosa é a Turquia, onde 80,9% dos insumos da indústria siderúrgica é sucata reutilizada. Enquanto isso, a média mundial é de 35,5%, o que mostra um promissor caminho a ser seguido no sentido de uma atividade econômica ambiental e socialmente sustentável.

Para ilustrar os benefícios da utilização da sucata ferrosa como matéria-prima, segundo a Federação Internacional da Indústria da Reciclagem (BIR), a produção de aço a partir da sucata de ferro utiliza 24% menos energia do que a proveniente do minério. A economia de água é de 40%, e a poluição produzida na água e no ar é 76% e 86% inferior.

A emissão de CO² na atmosfera é 58% inferior além da produção de resíduos ser 97% menor. Sem contar que minérios como silício, carbono, cobre, zinco e outros, utilizados na produção siderúrgica, já estão presentes na sucata ferrosa. Com isso, além da redução sensível da extração de ferro, a indústria da reciclagem reduz, também, a exploração desses outros minerais.

Benefícios econômicos e sociais da exploração da sucata ferrosa

Além da questão ambiental, há um aspecto social importante, que é a troca da mão de obra envolvida na mineração, uma atividade reconhecidamente insalubre e repleta de riscos, por outras atividades.

Entram em cena na cadeia de suprimentos da indústria da reciclagem as cooperativas de catadores, as empresas aparistas e os empregos gerados pela própria indústria da reciclagem. Tudo isso sem contar que a venda de sucata ferrosa para reciclagem é uma nova fonte de renda, que contribui para o aquecimento da economia local.

Apesar disso, o Brasil ainda carece de políticas mais efetivas de incentivo à indústria de reciclagem de sucata ferrosa. O que não nos impede de termos nossa própria iniciativa, separando os resíduos sólidos que produzimos em nossa rotina, o que inclui, ferro, papel, plástico, vidro e outros, e dando ou vendendo para cooperativas ou empresas aparistas.

Para quem produz grandes quantidades as empresas aparistas são parceiros ideais, que compram, coletam e transportam a sucata de ferro. Se você está na grande São Paulo, contate a Aparas Macedo. Além de comprar, transportar e fazer o tratamento do material para as usinas de reciclagem, nós auxiliamos sua empresa com o gerenciamento de resíduos sólidos.

Como é reciclado o ferro?

O gerenciamento é muito importante para que o material chegue puro à indústria de reciclagem. Materiais como tinta, cola, plástico e outros detritos devem ser apartados da sucata ferrosa para não contaminar o produto final.

Há algumas sucatas que não podem ser reaproveitadas, devido às suas características, como é o caso daquelas que apresentam radioatividade, como alguns tipos de vigas de aço. Por isso, o trabalho de logística precisa ser altamente capacitado.

O material aproveitável, depois de ter sido feita a triagem e a purificação, passa por um processo que inclui:

  • corte na esteira industrial;
  • refundição na prensa industrial;
  • encaminhamento às siderúrgicas, onde são levados ao forno a temperaturas que chegam a 1.550 graus Célsius.

Esperamos que o conteúdo tenha sido proveitoso e sugerimos, para aprofundá-lo um pouco mais, que você assista a este vídeo.

Sugerimos que você assista a este vídeo para reforçar o conteúdo deste artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *