Como separar papel para reciclagem de forma correta e sem perdas?

Você sabe realmente como separar papel para reciclagem? Pode parecer uma pergunta um tanto quanto extravagante para alguns. A verdade, no entanto, é que há muitas pessoas com bom nível de consciência socioambiental, que reconhecem a importância de separar os resíduos, porém acabam desperdiçando material reciclável por não fazerem corretamente a separação e o acondicionamento do mesmo.

No que diz respeito ao caseiro de lida com o lixo, não há muita diferença do tratamento dado ao papel com relação aos demais resíduos sólidos. Estamos falando, especificamente, de resíduos como plástico, alumínio e vidro, que fazem parte da rotina das famílias e são descartados em grande quantidade.

Como fazer o descarte do resíduo sólido de forma correta

A forma correta de descartar os resíduos sólidos é, primeiramente, separá-los do lixo orgânico, basicamente os restos de alimento, mas também areia, gordura e outros. Essa é a primeira medida para que o tratamento de resíduos seja adequado.

O passo seguinte é separar os diversos tipos de materiais sólidos. Você deve, portanto, ter diversos incipientes, um para cada tipo de material. Basicamente, você pode criar quatro diferentes recipientes para abrigar: papel, plástico, vidro e alumínio.

Esses recipientes devem estar limpos e secos para receber os resíduos sólidos. A vantagem é que os materiais podem ficar por longo tempo armazenados, já que não se deterioram. Isso ajuda a evitar que você tenha que acionar cooperativas de coleta de resíduos, transportadoras ou aparistas rotineiramente. É possível acumular grande quantidade de material antes de acionar a coleta externa.

Essa medida é bastante satisfatória para quem reside em casa. Para quem reside em prédios, seria muito importante levar ao condomínio a necessidade de criar uma política própria de tratamento do lixo, de modo a orientar os moradores. Como é bem menos simples acumular esses materiais em apartamento, o ideal é que o próprio condomínio disponibilize áreas próprias para o descarte.

O importante é que cada tipo de resíduo esteja separado por recipientes, facilitando a coleta, separação e, por fim, preparação do material para reciclagem.

Como separar papel para reciclagem

No caso do papel, é mais importante ainda que o recipiente esteja limpo e seco. Umidade e contato com detritos, principalmente gordura, pode comprometer a integridade do material, inviabilizando a reciclagem.

O principal cuidado para que a separação seja correta é saber separar o que pode do que não pode ser reciclado. Não há problema se você misturar com o papel apropriado para reciclagem o material inapropriado, pois uma nova separação será feita pelas empresas aparistas quando ocorrer o tratamento do mesmo.

O que você deve ter em conta é não misturar com o lixo reciclável papéis engordurados ou úmidos. Papel sanitário, por exemplo, além de não ser reciclável, ainda contamina e inutiliza o material.

Em outras palavras, separe para reciclagem as aparas de papel e embalagens de papelão livres de qualquer tipo de detrito orgânico, tomando o cuidado de garantir que esses materiais estejam secos. Outro cuidado importante é não amaçar o papel, pois isso também pode inutilizá-lo.

Para concluir, há tipos de papéis que não são recicláveis, mas não comprometerão a integridade do material, diferentemente do papel sanitário, papel toalha e guardanapos engordurados. São eles as etiquetas, adesivos, papel carbono, fita crepe, fotografias e papéis plastificados, metalizados ou parafinados.

Para aprofundar o tema, sugerimos que assista este vídeo, que mostra a rotina de uma cooperativa de coleta de papel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *