Entenda porque o comércio de Aparas de Papel cresce tanto

A indústria papeleira utiliza como principal matéria-prima a fibra de celulose, obtida a partir das árvores. Porém, o uso de aparas e papeis usados nos processos de reciclagem tornam possível, também, a fabricação de papel novo. Para se ter uma ideia, dados da ANAP (Associação Nacional dos Aparistas de Papel), apontam que a taxa de recuperação de papeis recicláveis em 2016, no Brasil, foi de 64,5% e a dos papeis ondulado e kraft de 78,4%. A partir daí é possível começar a entender porque o comércio de aparas de papel é um mercado em alta.

Demanda por aparas de papel

De acordo com o Guia ABTCP 2016/17 (Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel) o papel reciclado (aparas de papel) é o tipo de fibra para papel com maior grau de crescimento de demanda. A previsão da entidade é de que o consumo de aparas deva crescer a uma taxa de cerca de 1,5% ao ano até 2030, enquanto a participação na aquisição global de fibras para papel deve passar de um patamar de 57% em 2014 para cerca de 60% em 2030.

Falta de aparas de papel de qualidade

Apesar do crescimento da procura, problemas no suprimento de aparas de papel de qualidade (brancas) em quantidade, devem motivar o aumento da participação de BHKP (celulose de fibra curta) no consumo global. Boa parte da queda na disponibilidade de apara branca vem da diminuição do consumo de papéis gráficos no mundo, principalmente pela popularização das mídias digitais.

Indústria de aparas de papel

No Brasil, é grande a disponibilidade de aparas de papel. Mesmo assim, as empresas precisam fazer importações periódicas do material para abastecer o mercado. Quando há escassez de celulose e, com isso, ocorre o aumento dos preços do reciclado, a indústria de aparas de papel recorre à importação em busca de melhores custos. Porém, quando a oferta de celulose no mercado cresce, a demanda pelas aparas diminui. Isso acaba abalando muito a estrutura de coleta, que é sensível e demora a se normalizar.

Aparas de papel reciclagem

A reciclagem é bastante tradicional no setor papeleiro. Toda cadeia produtiva que envolve essa atividade gera emprego e renda, movimentando a economia. Do ponto de vista econômico, a reciclagem de aparas de papel reduz os custos de produção, possibilita a distribuição de riqueza e promove a recuperação de matérias-primas e sua reinserção no ciclo de consumo. Quando comparado a outros países, o Brasil demonstra elevados índices de reaproveitamento de materiais e tem potencial de se desenvolver ainda mais nessa área.

Agora que você já entendeu mais do crescimento do comércio de aparas de papel, deixe seu comentário e compartilhe esse artigo!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *