Compra de papel: Por que alguns materiais são rejeitados?

A reciclagem é um processo extremamente importante para a preservação de árvores e redução de problemas ambientais decorrentes do processo de produção de papeis. Mas nem todo o papel que separamos em nossas casas, escritórios e indústrias podem ser reciclados. Isso determina que boa parte dele acabe sendo recusado pelas empresas de aparas e recicladores. Saiba porque a compra de papel exige algumas restrições.

Critérios de compra de papel para reciclagem

A compra de papel para reciclagem é baseada em critérios técnicos que viabilizam o processo. Em tese, quanto mais puro for o papel, melhor a sua qualidade para a reciclagem e, consequentemente, mais valorizado. Já papéis que sofrem adição de produtos químicos especiais ou que contenham substâncias contaminantes não podem ser reciclados.

A norma europeia EN 643, que é muito adotada por muitas empresas do setor mesmo no Brasil, define os papéis não recicláveis como aqueles que representem perigo à saúde, segurança e meio ambiente. Dentre eles, os que tiveram contato com resíduos hospitalares, rejeitos perigosos, resíduos orgânicos, incluindo gêneros alimentícios, betume, produtos de higiene pessoal contaminados e materiais similares.

Como citado, além de papel engordurado e higiênico usado, os papeis do tipo vegetal, celofane, impermeável, parafinado, betumindado, encerado, carbono, metalizado, plastificado, laminado, de fax, fotografia, fita, etiqueta adesiva, entre outros, não podem ser reciclados e, por esse motivo, não são aceitos pelas empresas de aparas.

Papeis contaminados acabam carregando a “sujeira”, que não seja passível de remoção no processo da reciclagem, para o produto final. Já os impermeabilizados têm suas ligações químicas entre as fibras prejudicadas, tornando-se mais “fracos” e inservíveis para serem reciclados. Esse material deve ser descartado em lixo comum ou ser compostado.

Compra de papel usado: Classificação do material

Com base na quantidade de fibra virgem utilizada e na qualidade do produto, o material adquirido pelas empresas que realizam a compra de papel usado para reciclagem é classificado em 57 categorias diferentes, divididas em cinco grupos de acordo com a Norma EN 643.

  • Grupo 1: Qualidades Correntes
  • Grupo 2: Qualidades Médias
  • Grupo 3: Qualidades Elevadas ou Superiores
  • Grupo 4: Qualidades Kraft
  • Grupo 5: Qualidades Especiais

Já outro tipo de classificação de aparas de papel, feita por alguns aparistas do mercado, divide em 24 categorias os materiais para reciclagem. Ela também se baseia no nível de pureza do papel e leva em conta se ele é de pré ou pós-consumo, o teor de umidade e a presença de proibitivos.

  • Branco I, II, II, IV, V
  • Kraft I, II, III
  • Jornais I, II
  • Cartolina I, II, III, IV
  • Ondulado I, II, III
  • Revistas I, II
  • Misto I, II, III
  • Tipografia

Empresa de aparas de papel: separação do material

Para fins de reciclagem, quanto melhor for a separação por tipo de papel, mais valor ele terá. Já quando há muita mistura, a compra pela empresa de aparas de papel é sempre baseada pelo tipo menos valioso. Por isso, é importante dedicar um tempo na seleção e organização do material.

Agora você já sabe o porque deve separar os tipos de papel. Tem alguma dúvida? Conte para a gente o que achou desse artigo.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *